“Pensei em escrever uma carta a meus pais, que moravam no interior do Paraná, e comunicar a novidade. Que eu havia vencido. A determinação deles fora um exemplo. Os anos de trabalho de minha mãe, no cartório, minuciosa em todas as anotações, eram meu modelo. Não falaria de meu pai, o eterno desempregado, mas até ele, com seu amor à vida, numa valorização dos dias, passados em contemplação do próprio transcurso do tempo, era uma referência.”

O último endereço de Eça de Queiroz (2022)
Por Miguel Sanches Neto