Para muitos pode ser um assunto chato e desnecessário, mas mais do que nunca, ele é extremamente urgente, para que sempre tenhamos em mente a dimensão e a gravidade do problema. Precisamos pensar sobre como estamos gastando o nosso tempo nas mídias, principalmente, na internet. Claro que não quero pregar morte à internet, afinal, este texto está dentro deste mundo, mas o foco agora é refletir sobre os pontos negativos e como devemos cuidar de nós mesmos nesse sentido.

Não é de hoje que o Instagram, o Facebook e outros aplicativos estão presentes na nossa vida. De acordo com o site da revista Época, o Brasil está em segundo lugar no ranking de países que passam mais tempo nas redes sociais. Você já prestou atenção em quantas horas passa em frente a tela do celular ou computador? E quais sentimentos eles te causam?

Mais do que criticar sobre o tempo gasto, devemos refletir sobre o que, ou quem decidimos acompanhar. Pulamos do Instagram pro Twitter, depois do Facebook, para o YouTube e por aí vai. Estamos sempre vendo vídeos, notícias, textos, fotos, stories, que muitas vezes nos causam ansiedade, incomodo ou frustração com a nossa própria realidade. Às vezes precisamos nos perguntar, por que eu acompanho esse conteúdo?

O “tempo de qualidade” é muito individual, variando de pessoa para pessoa. Cada um tem sua própria definição do que vale a pena gastar suas energias e investir seu tempo, inclusive seu tempo na internet, não é mesmo? O que cabe aqui é apenas um convite a reflexão, afinal, o tempo passa correndo, e no meio de tanto informação, um respiro pode mudar o nosso olhar e os nossos objetivos.

 

 

Conta aqui pra gente, como é a sua relação com as redes sociais?