O IX Multicom ocorreu nos dias 12, 13 e 14 de agosto de 2019, na Universidade Estadual de Maringá, tendo como tema “Vida e políticas do algoritmo” e contando com palestras no primeiro e terceiro dia, oficinas em todos os dias com a parceria da Nação Digital, encontro com egressos do curso de Comunicação e Multimeios no dia 12, além de apresentações de trabalho no segundo dia. O Comunica UEM esteve presente no evento, que é organizado pelo curso de CMM – UEM e mostra tudo o que rolou para você! 

multicom

Cartaz do IX Multicom – Vida e políticas do algoritmo.

O início de todo o evento se deu com a oficina de Google Ads, ministrada pelo Augusto Ribeiro de Melo, da Nação Digital, no dia 12, às 8h, no NPD. Essa é a ferramenta de publicidade da Google e se faz muito importante como uma grande plataforma de anúncios, uma vez que faz da publicidade algo além de meramente expositivo, mas sim que gera resultados efetivos. O oficineiro abordou todos os tipos de campanha possibilitados pelo Google Ads, sendo: search – anúncios textuais-, display – anúncios em sites -, mobile – anúncios otimizados para os dispositivos móveis -, vídeo – anúncios do Youtube – e, por fim, shopping – anúncios específicos para vendas. Os participantes puderam ter contato direto com a plataforma do Google Ads e visualizar todo o processo de criação de publicidade e os resultados gerados.

A primeira palestra do Multicom foi apresentada pelo Prof. Dr. Cesar Baio da Unicamp, intitulada de “Algoritmos de desvio: arte, sistemas de controle e outras formas de existência”. A temática da palestra foi muito instigante, transitando entre as áreas de comunicação, ciência, exatas e biológicas.

baio

Prof. Dr. Cesar Baio. Foto: cobertura IX Multicom

Baio deu início a palestra comentando sobre como a inteligência artificial está cada vez mais presente em nossa sociedade. Ele levantou a questão da segurança dos carros autônomos, onde qualquer falha no sistema pode colocar em risco tanto a vida do proprietário quanto a de quem está a sua volta. Também trouxe vários exemplos de filmes que contaram com o uso da inteligência artificial em suas produções.

O Professor também apresentou alguns trabalhos e pesquisas com microrganismos realizados por ele e seu grupo. O primeiro teste contou com a representação social de uma região litorânea de Los Angeles, foram usados flocos de aveia que representavam a renda per capta, e microrganismos que retratavam o número de pessoas que residiam em cada local. Esses dois elementos foram distribuídos em cima do mapa da região em suas respectivas quantidades. Foi observado que na região mais periférica, a quantidade de microrganismos era muito maior que a de flocos de aveia, enquanto na região central, a quantidade de flocos de aveia era superior à de microrganismos. Ao decorrer do experimento foi observado que os microrganismos que estavam na região central se desenvolveram mais rápido e em grande escala, pois tinham mais alimento a sua disposição, em contrapartida, na região periférica, os microrganismos estavam morrendo por falta de alimento. Ao final do experimento, ocorreu algo inesperado, os microrganismos das duas regiões começaram a se juntar para dividir a quantidade de flocos de aveia que ainda havia na região central, para que assim, todos sobrevivessem.

O segundo teste foi realizado com livros e fungos. O livro escolhido para o experimento falava sobre o homem dominar a natureza, este ficava dentro de um domo de vidro, onde era vigiado 24h por câmeras ligadas a um computador conectado à internet. Os fungos iam comendo partes do livro, á medida em que cresciam, mais letras e palavras do livro desapareciam. Conforme as letras iam desaparecendo, o computador pesquisava, em tempo real, as palavras formadas com as letras que restavam. A ideia era criar uma rede bio híbrida de interação da tecnologia com a natureza.

Após a palestra ministrada por Baio houve uma pausa cultural, sendo uma intervenção sonora para quatro canais, desenvolvida pela Beatriz Mello, Camila Mocki, Leonardo Ianella, Maria Julia Veronese e Renata Alexandrino. Os áudios foram pensados como uma instalação, promovendo uma experiência única, na qual você precisa estar inserido em um contexto para compreender e sentir o que foi pensado pelo grupo. Segundo Mocki, a instalação sonora “Bloco 104” representa “a queda do teto do antigo bloco de CMM. Em nossa obra, pensamos em simular a queda do bloco todo em um dia de chuva, com o intuito de denunciar o descaso com o nosso curso, com a UEM e a universidade pública de uma forma geral. Sobre a técnica, nós gravamos todos os sons com um microfone direcional. Quebramos objetos como tijolos, pedaços de madeira e derrubamos alguns no chão. Também utilizamos o vento do dia para ambientar a instalação.”. O projeto foi produzido pelos alunos na disciplina de Áudio e Sonoridades, em 2018.

img_5157

Camila Mocki apresentando “Bloco 104”. Foto: cobertura IX Multicom.

E para encerrar o primeiro dia do IX Multicom, houve o encontro com os egressos de Comunicação e Multimeios, desde a turma do ano de 2014. As convidadas representantes da primeira turma do curso foram a Gabriela e Tamires, já do ano de 2015, César e Débora. A terceira turma contou com 3 representantes, sendo a Amanda, o Johnny e o Rodrigo, já a turma de 2017 foi representada pela Brenda e o Geison e, a última turma a se formar foi representada pelo Felipe e pela Giuliana. Antes de todos os convidados subirem ao palco, houve a exibição dos resultados da pesquisa feita com os ex-alunos (2011-15), apresentados pela graduanda Lorena Moura. O tema central da pesquisa girou em torno de assuntos relacionados a vida deles após formados, ou seja, onde vivem agora, em que área eles atuam, médias salariais e claro, as considerações, experiências e percepções sobre o curso de Comunicação e Multimeios.

Egressos convidados e professores de CMM. Foto: cobertura IX Multicom

Egressos convidados e professores de CMM. Foto: cobertura IX Multicom

A pesquisa obteve participação de 95 dos 200 egressos do curso até o momento. Deste grupo, 83,1% consideram CMM importante ou muito importante para a comunidade, 77,9% possuem boa e ótima satisfação com o curso e consideraram o curso como bom/ótimo e 89,5% consideram os professores bons ou ótimos. Ademais, 74,4% dos participantes consideram que o curso contribuiu muito para a sua atuação profissional, sendo os seguintes dados reflexos dessa contribuição:

1

Resultados obtidos com a pesquisa. Imagem: Lorena Moura

O gráfico a seguir trata da média salarial dos participantes da pesquisa:

2

Resultados obtidos com a pesquisa. Imagem: Lorena Moura

Além disso, houve também uma roda de conversa com os egressos, mediada pela recém-formada em CMM, Bruna Barranco. Eles contaram um pouquinho de suas vidas profissionais, das vivências com o curso, do que mais gostavam, dos aprendizados e diferenciais que ele proporcionou. Foi interessante de se ver como todas aquelas pessoas tomaram rumos distintos, mas que ainda sim, contribuem para o fortalecimento da comunicação.

E isso tudo não acabou, calma que ainda vem mais do IX Multicom por aí… Veja como foi o segundo dia!