Entrevistamos a personal stylist e blogueira Marcela Borges, de 34 anos, em seu escritório localizado no Centro de Maringá.

Marcela nos recepcionou em seu cantinho cheio de inspirações e revistas de moda. Roupas novinhas haviam acabado de chegar para uma sessão de fotos. Na parede, recadinhos carinhosos nos mostraram a lealdade entre a blogueira e algumas marcas que, segundo ela, a acompanham desde o início do blog.

Formada em Administração de Empresas e Moda, Marcela trabalhou em São Paulo por algum tempo, mas ao mudar-se para Maringá decidiu seguir sua verdadeira paixão: a moda. Seu trabalho nas redes sociais se dá de maneira quase que estritamente profissional e a blogger não esconde a apreensão quando o assunto é compartilhar sua vida particular nas redes.

Marcela e as mídias digitais: maior visibilidade, agilidade nas relações profissionais. Reprodução/blogmarcelaborges.com.br Foto: Luane Pariz

ComunicaUEM: Sua relação profissional com as mídias digitais começou com o blog. Hoje, você utiliza de plataformas como o Snapchat e o Instagram. O que mudou?

Marcela: Quando comecei, essas redes não existiam, eu utilizava apenas o Facebook para divulgação do blog. Com o surgimento do Instagram, a visibilidade aumentou. As pessoas com interesse por moda e lifestyle começaram a me seguir. A venda com o Instagram se tornou mais rápida.

Com o Snapchat mais ainda, ás vezes estou fotografando para um post que vai sair dali dois dias no blog e quando faço um snap as pessoas já entram em contato com a loja.

ComunicaUEM: Como você vê a entrada da Internet nesse mercado? Se não houvesse a internet, o que seria diferente?

Marcela: Antes existiam, e ainda existem as colunistas de revista, por exemplo, que sempre ficaram em evidência. Eu gosto muito de revista, acho muito legal, mas não tem como comparar. O número de pessoas atingido nas mídias não tem comparação, seria muito difícil se não houvesse a internet. A função ficaria restrita aos meios de comunicação impressos como os jornais e as revistas.

ComunicaUEM: Como é sua relação com seus seguidores/leitores e o feedback que recebe deles?

Marcela: Eu recebo um feedback muito grande, e essa troca pra mim não tem preço. Recebo e dou até dicas de salão de beleza, por exemplo. É uma relação muito legal, uma amizade com minhas seguidoras que eu adoro e vejo como um termômetro, se elas estão gostando ou não.

De que maneira você expõe sua vida pessoal e profissional?

Não sei fazer essa divisão. Apesar de ter muito tempo de blog, minha relação com ele é bem comercial, ainda não consigo expor minha vida pessoal. Existem nas redes fotos com minha filha, por exemplo, mas os seguidores têm vontade de saber mais sobre minha vida, pois temos uma relação íntima, uma amizade. Estou em busca de aprender a fazer essa divisão. A dificuldade maior é expor os problemas, pois mostrando a vida pessoal tudo vem à tona, mesmo que você não queira.

Existe uma espécie de mito de que as blogueiras e influenciadores têm uma vida perfeita, pois ninguém posta fotos feias ou tristes. Quando expomos alguma fraqueza, as pessoas se identificam, veem que mesmo eu estando exposta nas mídias, tenho problemas como todo mundo.

Você possui contas separadas na rede para o pessoal e para o profissional?

Não, eu já não tenho mais perfil pessoal algum. Costumava ter Facebook e Fanpage, mas fazendo testes percebi que as divulgações do blog geravam mais alcance e resultados nesse perfil pessoal, então retirei a maior parte de minhas fotos e transformei em uma página para o blog mesmo. Também possuo só uma conta no Instagram. Não daria conta de duas contas, tenho muita coisa para postar. E como possuo perfil único, sinto a necessidade de começar a deixá-lo com “uma cara” mais real e menos comercial.

A blogueira é cuidadosa quando o assunto é auto exposição nas redes. Reprodução/blogmarcelaborges.com.br. Foto: Luane Paris

Você tem algum receio da exposição que faz na Internet?

Não. Já me acostumei a estar voltada mais para o comercial e fazer postagens focadas em meus clientes, mas estou tentando mudar isso. Por outro lado, penso um pouco também na exposição das pessoas que estão envolvidas em minha vida.

Você já chegou a ter algum problema com algo que expôs?

Não, nunca tive problemas em relação a isso. Acredito que preciso até mesmo expor mais o lado pessoal.

Em sua opinião, há um limite para a exposição na Internet? Existem certas coisas que não devem ser compartilhadas na rede?

Eu não acho que tenha muito limite, não. Depende de cada um, mas eu acho legal a realidade exposta, bruta. Penso que depois do Snapchat isso ficou mais escancarado, porque o Instagram possui filtros onde você consegue adequar a sua foto, já no snap não. É a sua cara ali ao vivo. E isso acrescenta para o mundo real.

Conheça o blog e as redes sociais da Marcela!

Blog                                     Facebook                                     Instagram                                     Snapchat: marcela.borges