A publicidade parece estar repensando a abordagem da figura materna em suas campanhas. Isso se dá devido ao contexto de fortalecimento da luta pela igualdade de gênero, que está fazendo com que os profissionais da criação (em sua maioria) passem a reconsiderar e reformular o modo com que as mulheres são retratadas nas peças publicitárias. O estereótipo da mãe perfeita e sempre disposta está, cada vez mais, dando lugar a representações de mulheres mais próximas da nossa realidade.

No dia das mães deste ano tivemos algumas campanhas que buscaram abordar essa diversidade de mulheres e suas diferentes relações com a maternidade. Mães de diferentes perfis e gostos, com suas próprias opiniões e vontades, que criam seus filhos cada uma à sua maneira.

Confira alguns exemplos:

Perfume Luminata da Avon
A campanha de Dia das Mães da marca traz diferentes perfis de mães: atleta, ativista, artista.

#LoQueMamáSíQuiere (O Que a Mamãe Quer) da marca peruana Oeschle
A campanha aumentou os preços de produtos comumente dados nesta data (eletrodomésticos e produtos para a casa em geral) para que não sejam comprados como “presentes” no Dia das Mães.

Perfeitamente Mãe, da Imaginarium
Dividida em cinco filmes, apresenta mães reais e suas histórias.

Certo ou Errado, da C&A
A marca celebra “a mulher que a sua mãe é”, apontando que não há escolhas certas ou erradas quando o assunto é ser mãe.

Seria este um pequeno passo para uma maior representatividade na publicidade?